quarta-feira, 26 de março de 2014

Uma rápida história da Cardiologia Intervencionista

Leslie Aloan

Em 2005, por ocasião das comemorações dos 50 anos da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (SOCERJ ), o autor foi convidado a escrever o Editorial comemorativo “Considerações Históricas sobre a Cardiologia no Estado do Rio de Janeiro. Historical Considerations on Cardiology in Rio de Janeiro State”, onde apresentou os principais marcos da evolução da especialidade.
 Evolução da Medicina.   Grandes Marcos da Cardiologia
10 de julho de 1893: Daniel Hale Williams, operou com sucesso no Hospital Provident de Chicago um paciente de 24 anos esfaqueado no coração. 
1905: Fritz Bleichroeder introduz cateteres em suas próprias veias até perto do coração
1929: Werner Forssmann atinge a AD com estes cateteres e tem o crédito do primeiro cateterismo cardíaco no mundo.
1959: Mason Sones inicia a coronariografia, em Cleveland.
1967: André Favaloro realiza a primeira revascularização miocárdica, em Cleveland.
16 de setembro de 1977: Andreas Gruntzig realiza a primeira angioplastia no Mundo
No Mundo, em 1844, Claude Bernard cateterizou o ventrículo esquerdo e direito de cavalos, via retrógrada, utilizando a via jugular e carótida.
Foi o primeiro a realizar o cateterismo e a estabelecer a fisiologia cardíaca como é definida hoje.
Em 1905,  Freis Bleichroeder começa a história da investigação invasiva em cardiologia, quando introduziu sondas em suas próprias veias, e por isso merece o crédito de pioneiro, embora este seja atribuído ao jovem estudante de Medicina Werner Forssmann, de 25 anos, que em 1929 em Eberswalde, Alemanha, repetiu este feito, e o  registrou por radiografias de tórax a sonda atingindo a aurícula direita.  Este autor recebeu o Premio Nobel de Medicina em 1956.
Nos anos  40,  André F. Cournand  e  Dickinson Richards desenvolvem o cateterismo direito, aplicando-o rotineiramente. Em 1956, Cournand compartinha do Prêmio Nobel com Werner Forssmann.
Em 1959,  Mason Sones inicia a coronariografia seletiva na  Cleaveland Clinic e em 16 de setembro de 1977 em  Zurich, Gruntzig realiza a primeira angioplastia no mundo, inaugurando a era da Cardiologia Intervencionista.
Primeira angioplastia no mundo
            Em junho de 1979 foi realizada uma reunião histórica no NIHBL, Bethesda, com 34 Centros USA/Europa, com 631 casos apenas  realizados no Mundo, e criado o Registro de PTCA do NIHBL, publicado no  Proceedings on PTCA, March 1980. Este Registro monitorou a técnica oferecendo diretrizes.Avançam as intervenções percutâneas coronarianas, com Costantino Costantini , Curitiba, realizando o primeiro caso no Brasil, em 1979
            A angioplastia com implante de stents metálicos segue-se então:
                        1986: Primeiro stent implantado no Mundo (Sigwart, Wallstent).
                        1987: Primeiro stent no país ( Eduardo de Souza, PalmazShatz).
            Angioplastia com implante de stents farmacológicos:
                        2001: Estudo FIM (Eduardo de Souza, SP).
            As valvoplastias por procedimentos percutâneos desenvolveram-se sobremodo nos anos 80, com valvoplastia mitral e pulmonar, para as estenoses destas valvas. O Implante de valvas percutâneamente iniciou-se em 2002  com Alain Cribier  implantando  a valva Cribier-Edwards (Edwards Lifesciences Corporation, Irvine, Califórnia)  e em julho de 2006, Grube  empregou pela primeira vez em um ser humano  uma prótese valvar aórtica auto-expansível ( CoreValve ) inserida via arterial retrógrada.
            No Brasil, apenas no início dos anos 30 a Cardiologia começa a surgir como área de interesse em nosso país.  As publicações são eventuais A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), foi criada apenas em 1943, em São Paulo, iniciando  a Cardiologia como especialidade no Brasil,  com médicos fundadores ilustres como Edgard Magalhães Gomes, Alcir de Belo Campos, Pimenta Bueno, Waldemar Deccache, Luiz Feijó, Emiliano Gomes, Genival Londres, Vieira Romero e Dante Pazzanese.  As publicações regulares somente ocorrem a partir de criação dos Arquivos Brasileiros de Cardiologia, em 1948. A Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro é fundada em 1955. Em 1945, Horácio K. Melo publica na Revista Médica Paulista um artigo intitulado “Angiocardiografia”  Computa-se a ele o primeiro artigo da especialidade no país.
            Eduardo de Souza realiza a primeira coronariografia no país em 1966, no Instituto Dante Pazzanese. Em 2 de dezembro de 1976, em Guarujá (SP) é criado o Departamento de Hemodinâmica e Angiocardiografia da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Em 1980, Leslie Aloan et al. publicam o primeiro livro na especialidade em português - “Hemodinâmica e Angiocardiografia: Obtenção de Dados, Interpretações e Aplicações Clínicas”.
            Em 1993, em Belo Horizonte, por ocasião do XLIX Congresso da SBC, este Departamento transforma- se na Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI).  Em 1996, Leslie Aloan, cria a Sociedade de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Estado do Rio de Janeiro (SOHCIERJ) Dos 35 membros efetivos à época, a  SOHCIERJ congrega hoje mais de 160 membros, e perto de1000 congressistas participaram do último evento em 2011.

  

quinta-feira, 20 de março de 2014

Dia Mundial da Poesia - uma alusão

Tendo em vista o Dia Mundial da Poesia neste 21 de março, queria compartilhar com os amigos alguma coisa minha publicada no Livro, Feiteira Nua, Ed. Kelps, Goiania, 2012:

"O amor mais puro não se procura. Ele aparece, fica ao teu lado, cresce  contigo  e vai ficando."

Você querida, meu suave encanto...
Mais que vida, sempre e tanto...
Te  vejo fada e canto...
Manto...
De amor eterno e santo...
Puro, seguro, espanto...
Cantando em acalanto...
Vida simples de viver....
Meu único recanto...
De sentir e de Ser...

Será minha trama,  o viver...
Contigo  e tanto, a alegria...
A chama  do teu  corpo em minha cama...
E viver,
O  sentimento belo,  a aventura...
Descobrindo os teus caminhos...
Conhecendo a mágica  ternura... 

Até  que a vida nos resolva e sempre...
Tendo teu corpo como bruma...
Sentido a chama de viver,
Sendo  amante e cúmplice.
Sentindo no rosto a pluma
De ter sido e sempre ser.

Leslie Aloan